ATIVIDADES

ATIVIDADES2020-11-02T10:30:55+00:00

Atividades

Ao longo da sua história, a Rede abordou a defesa do setor da cortiça a partir de múltiplas linhas estratégicas. Com o objetivo de oferecer uma visão global, organizamos essas informações por anuidades:

2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010
2009
2008
2007
2006

2018

A Rede continua o seu trabalho de promoção dos territórios corticeiros e da cultura associada à atividade deste setor ao nível patrimonial, económico e social. Para tanto, seus representantes participaram de eventos e apresentações como o projeto “Taps de Finca”, exposições e conferências em seus municípios membros como Tordera, Palafrugell ou Llagostera; eventos internacionais como a Feira Internacional da Cortiça, a Feira de Agosto ou a VIVEXPO Bienal da Cortiça. Por exemplo, na Feira da Cortiça Cassà de la Selva, a Rede organizou um debate sobre a valorização do montado de sobro como recurso turístico, comparando e conhecendo experiências turísticas em Portugal e Espanha.

Estas ações ao nível local ou regional são muito necessárias, pois conseguem atingir um público específico, consciente do meio ambiente e assim descobrir como, na sua atividade quotidiana, podem colaborar e promover um setor que respeite o meio ambiente e que gera riqueza, cultura e desenvolvimento socioeconômico nos territórios onde está instalada.

Neste sentido, importa destacar a nível académico, a conferência proferida pela RETECORK na Faculdade de Turismo de Girona, no âmbito do Master europeu WINTOUR, organizada pela Faculdade de Enologia da Universidade Rovira i Virgili, onde 50 alunos até 20 diferentes países descobriram a riqueza deste ecossistema mediterrâneo único e quais são os seus pontos fortes em relação ao turismo de natureza e enoturismo.

Claro que, ao longo do ano, a Rede tem continuado a trabalhar para manter e criar sinergias com o sector do vinho, captando possíveis financiamentos para o desenvolvimento de projectos a nível nacional e internacional, e tendo assistido a todo o tipo de eventos com enfoque no eco design, conferências sobre cortiça, bioeconomia e adaptação às alterações climáticas, mais ligadas ao sector florestal, etc.

2017

Em 2017, a RETECORK intensificou a sua dedicação à preparação de uma candidatura ao Interreg SUDOE, com o objetivo de apresentar um projeto de desenvolvimento turístico para os territórios corticeiros de forma a poder alargar a obra desenvolvida em território espanhol. Infelizmente, não foi possível formar um consórcio estável de parceiros por falta de compromisso de uma entidade ou município francês.

Por outro lado, a Rede continuou o seu trabalho de divulgação da singularidade do sector e do material através da participação em eventos sectoriais a nível internacional como a FICOR, em Coruche, a Fira del Tap, a Cassà de la Selva, a Feira de Agosto, em Grândola, a Feira da Luz / Expomor, em Montemor-o-Novo, ou a Journée Annuelle du Liège, em Vivès, onde foi apresentado o Guia da Silvicultura do Sobreiro.

Do mesmo modo, a RETECORK esteve presente em eventos do setor vitivinícola como a III Edição da Noite do Enoturismo ou a inauguração das novas instalações da Vins i Licors Grau, com o objetivo de estreitar laços e procurar uma ligação direta nas rotas da gastronomia e do vinho com o setor da cortiça e fortalecer alianças.

Finalmente, no final do ano, foi estabelecida a colaboração com o Curso de Licenciatura em Design de Produto da Universidade de Deusto. Assim, na sequência de conferências anteriores da RETECORK e do Instituto Catalão da Cortiça, os alunos desta licenciatura conceberam e desenvolveram um produto ou protótipo com base nos diferentes formatos em que podemos encontrar a cortiça, sob o tema dos produtos limitados ao lar : cortinas tecnológicas, soluções em talheres e recipientes para bebidas, móveis de interior e de exterior, casas e jogos para animais e ainda lanternas e salas de jogos para os mais pequenos.

2016

Ao longo de 2016, a Rede participou e esteve presente em diversos eventos relacionados com o setor da cortiça, vistos sob diferentes perspetivas, mas que, em conjunto, são valiosos para divulgar este material e os seus múltiplos usos e potencialidades.

A nível internacional, destacamos a participação e apoio da Rede através do seu stand promocional e material informativo em feiras setoriais como a FICOR, a Feira Internacional da Cortiça em San Vicente de Alcántara ou em Coruche, Portugal. De igual modo, a Universidade de Évora realizou o Congresso Mundial Silvo-Pastoral Systems e os participantes puderam conhecer de perto a paisagem corticeira da Península Ibérica através da nossa exposição fotográfica Paisagem Corticeira.

Outro evento notável é o VIVEXPO, que decorre em Vivès (França) e que a cada edição reúne especialistas da Argélia, Espanha, França, Itália, Marrocos, Portugal e Tunísia, e este ano centrou o seu tema em qual é a economia que queremos para os nossos montados de sobro.

Por outro lado, e no que se refere à promoção turística dos territórios corticeiros, este ano foi vital o lançamento do From Bark to Bottle, um projecto promovido pela fundação americana Cork Forest Conservation Alliance, com a colaboração do operador turístico Two Birds One Stone, cujo objetivo é transportar anualmente 40 visitantes norte-americanos para uma imersão em diferentes territórios corticeiros de Espanha, descobrindo assim uma cultura única e rica. Durante o mês de junho, chegaram os primeiros grupos de visitantes.

Do mesmo modo, a uma escala mais local, também se realizou a Rota da Cortiça, que liga municípios como Maureillas-Las Illas, Agullana, Palafrugell e Cassà de la Selva; e ao mesmo tempo, em cada um destes concelhos, existe também um percurso urbano da cortiça para divulgar o património associado a esta atividade.

No que diz respeito ao design no sector da cortiça, a Rede participou no workshop Eco design e Eco inovação, organizado pelo ICSURO e com a colaboração de AECORK, CUD Zaragoza Universitdade, Inèdit-Innovació SL, Sostenipra, ICTA e a Universidade Autônoma de Barcelona. Mantém-se ainda contacto com a área de Relações Internacionais e Desenvolvimento de Negócios da ELISAVA, Escola Superior de Design e Engenharia da Universidade de Barcelona; e destacamos ainda a presença na entrega do Prémio Empreendedorismo – Ideia de Negócio com Cortiça, onde foram descobertas novas soluções de construção sustentável, objectos de decoração, utensílios de cozinha, brinquedos educativos …

Enfim, nosso grande aliado, o setor vitivinícola. Nesta área, a Rede tem participado em diversos eventos como o D.O. Empordà, no âmbito do Festival Vívid; o XXI Concurso de Vinho e Cava da Catalunha – Giroví; ou o XIV Simpósio da Associação dos Museus do Vinho da Espanha, sob o título “Nas periferias do Mundo do Vinho”

2015

Durante o ano 2015, e sobretudo no seu primeiro trimestre, os esforços da Rede foram dedicados à promoção e divulgação do projeto CORKLANDTOUR. Cork, Landscape & Tourism. Valorização social e turística das paisagens corticeiras, que conta com a colaboração da Fundação Biodiversidade, do Ministério da Agricultura, da Alimentação e do Meio Ambiente espanhol. Como resultados do projeto, de um lado destaca-se a plataforma online Descobre os territórios corticeiros, com mais de trinta produtos turísticos e, por outro, os contactos que foram estabelecidos com os tour-operadores a nível europeu, para dar a conhecer a riqueza paisagística destes territórios corticeiros.

Da mesma forma, RETECORK continuou com a tarefa de captação e manutanção dos sócios. Há que destacar que, em maio de 2015, ocorrerão eleições municipais em Espanha, pelo que os representantes da Rede realizaram visitas personalizadas a quase todos os municípios que compuseram a equipa de governo, para dar a conhecer os objetivos da entidade, qual a sua função no setor corticeiro e estabelecer sinergias futuras de colaboração.

Além disso, a Rede está presente em feiras, seminários e conferências, alguns um pouco mais locais e outros com projeção internacional. A este respeito, destacam-se, por exemplo, a participação na IV Semana Florestal Mediterrânica, que teve lugar em Barcelona; a participação na FITUR, a Feira Internacional de Turismo de Madrid; ou a participação na Conferência Internacional “O Montado de sobro e o setor corticeiro: uma perspetiva histórica e transdisciplinar”, em Ponte de Sor, entre muitos outros.

Em relação ao binómio vinho-cortiça, a RETECORK é consciente do seu grande potencial e das possibilidades que se abrem ao nível da cooperação, por exemplo, no campo da promoção do turismo. Assim, tem mantido contacto com organizações como a Associação de Municípios Portugueses do Vinho, tem acompanhado de perto as atividades no âmbito da Cidade Europeia do Vinho de 2015, Reguengos de Monsaraz, e tem participado em atividades mais locais como o concurso Giroví.

Finalmente, em relação aos futuros projectos da Rede, aprofundou-se a candidatura do projeto ERASMUS+; foram realizadas reuniões com entidades ligadas ao turismo como o INALENTEJO ou o Governo da Catalunha; participou nas Jornadas Itinerantes de Inovação, organizadas pela Rede Rural Nacional e a Direção Geral de Desenvolvimento Rural e Política Florestal, etc. Porém, o mais importante, talvez, é a apresentação do projeto SUBER_ECOTOUR à convocatória do mês de novembro do INTERREG SUDOE.

2014

Durante o ano 2014, a RETECORK trabalhou intensamente no âmbito das atividades previstas no projeto CORKLANDTOUR. Cork, Landscape & Tourism. Valorização social e turística das paisagens corticeiras, que recebeu o apoio da Fundación Biodiversidad, do Ministério da Agricultura, Alimentação e Meio Ambiente.

Sendo um projeto de âmbito estatal, as ações foram realizadas apenas em Espanha; a Rede, no entanto, continuou a trabalhar para o seu conjunto através de recrutamento de parceiros, da participação em feiras e eventos, apresentações, etc., nos outros países-membros: Portugal, Itália e França.

Há que destacar que a vontade da Rede nos próximos anos é estender este trabalho, feito ao nível de Espanha, a todos os outros territórios corticeiros na Europa.

De seguida, indicam-se as atividades desenvolvidas em conformidade com as linhas estratégicas do projeto, pelo que não hesitem em entrar em contacto com Descobre os territórios corticeiros para mais informações.

Análise da situação de partida: identificação dos recursos e equipamentos turísticos potenciais.

A RETECORK, através de projetos anteriores, já dispunha de informação geral sobre os municípios integrados na Rede, assim como de um inventário de todos os espaços naturais protegidos em Espanha e uma breve ficha descritiva dos museus e centros interpretativos de temas relacionados com a cortiça ou que albergam um espaço dedicado a esta cultura.

Em relação ao objetivo do projeto CORKLANDTOUR, que é apresentar as principais caraterísticas e elementos de interesse turístico dos territórios corticeiros participantes, partiu-se da informação referida como base documental e foi realizado um processo de estruturação, atualização de dados e síntese, de modo a que o resultado fosse atrativo e fácil de ler nos formatos turísticos cuja utilização era pretendida.

Atualmente, existem 16 fichas de municípios, 24 de áreas naturais protegidas e 7 de museus e centros interpretativos.

Jornadas e apresentações de sensibilização e formação dos agentes turísticos e outros relacionados com os territórios corticeiros.

Durante todo o período de execução do projeto CORKLANDTOUR existiu a participação em várias reuniões e eventos que têm permitido a apresentação do próprio projeto, e relatar o seu progresso e os resultados finais a agentes turísticos e outros ligados aos territórios corticeiros.

Entre eles podemos destacar, por exemplo, a participação na Conferência Internacional de Sobreiros e setor corticeiro, organizada pela Fundación Biodiversidad; a participação na apresentação de Jerez, Cidade Europeia do Vinho ou no Encontro de Enoturismo Portugal/Brasil em Lisboa; assim como a participação no Congresso Internacional de Turismo Rural e da Natureza que teve lugar em Granada.

Ações de apoio à criação de produto turístico nos diferentes territórios corticeiros.

O objetivo desta atividade é garantir que os agentes turísticos dos territórios tomem conhecimento do projeto e se envolvam nele através da criação de produto específico. Assim, foram realizados workshops com empresários da hotelaria, restauração, empresas de atividades turísticas, etc., orientando-os na realização de um produto turístico final atrativo para o mercado nacional e europeu.

Desenvolvimento de uma campanha para promover o turismo de temática corticeira.

Esta é uma das atividades essenciais do projeto CORKLANDTOUR e tem como objetivo fornecer uma plataforma para promover o turismo nos territórios corticeiros.

Para isso, foi concebido um sistema de promoção baseado na edição de material off-line de contacto com operadores e profissionais, a edição de folhetos para distribuir entre o público potencial e o projeto de uma plataforma que contenha informações de interesse tanto para o público em geral como para os profissionais de turismo.

Assim, foi estabelecido contacto e foram apresentados os territórios corticeiros a profissionais do setor turístico, públicos e privados, de Espanha, França, Reino Unido, Alemanha, Holanda e Bélgica.

Material de promoção no âmbito do projeto CORKLANDTOUR.

Para atingir os públicos alvo identificados (operadores turísticos nacionais e europeus, meios de comunicação especializados, agentes turísticos públicos e privados e potenciais visitantes), a Rede tem desenvolvido uma série de materiais divulgativos e de promoção dos territórios corticeiros e do próprio projeto, a maioria disponível em 7 línguas: dossier profissional e folheto informativo, memória USB, comunicados de imprensa e o principal produto, a nova plataforma online.

2013

Durante o ano 2013, a Rede prosseguiu com a tarefa de captação de sócios e realização de contactos institucionais. É necessário destacar a importância deste trabalho tendo em conta que a meados de abril se deu uma alteração nos órgãos de governo da mesma, passando a presidir à Comissão Executiva o município de Coruche (Portugal) e à Assembleia Geral o município de San Vicente de Alcántara (Espanha).

Entre todos os contactos realizados, podem destacar-se duas reuniões com o Conselho do Meio Ambiente da Junta de Andaluzia, para estreitar laços e abordar possíveis futuras colaborações; o encontro com o Dr. Martí Boada, membro da comissão de avaliação das Reservas da Biosfera da UNESCO, com a vontade, por parte da RETECORK, de que esta instituição declare os sobreiros Património da Humanidade; e a assistência à apresentação de projetos selecionados pela Fundação Biodiversidade na sua última convocatória, em representação do projeto CORKLANDTOUR. CORK, LANDSCAPE & TOURISM, o qual será desenvolvido no ano 2014.

No ano 2013 e através do projeto Territórios Corticeiros, co-financiado pelo Ministério da Agricultura, Alimentação, e Meio Ambiente e pela FEADER, a RETECORK esteve presente em ações realizadas em toda a geografia corticeira espanhola.

É necessário destacar a realização de workshops participativos em diferentes municípios corticeiros com o objetivo de que entre os agentes sociais, económicos e de administração, se procurem novas linhas de trabalho e exploração sustentável dos territórios corticeiros, como por exemplo o turismo e a natureza.

Por outro lado, a Rede participou em jornadas como La Mujer y el Corcho: asignatura pendiente em San José del Valle, Corcho Virgen del Alcornocal em Cortes de la Frontera, nas V Jornadas Gastronómicas y Agroalimentarias “Parque Natural Tajo Internacional”, assistiu ao I Congreso Ibérico de la Dehesa y el Montado em Badajoz, etc. É de realçar também a participação da RETECORK na organização do II Encontro de Museus e Centros de Interpretação Corticeiros e na XI Festa de la Pela de Llofriu, Palafrugell.

Por último, à margem do projeto Territórios Corticeiros, a Rede assistiu a ações em Portugal e França, e à III Semana Florestal Mediterrânica, celebrada em Tlemcen, Argélia.

Este ano, a RETECORK colaborou com diferentes entidades para a promoção das campanhas a favor da rolha de cortiça e da reciclagem de rolhas de cortiça. O vínculo foi realizado através da celebração de acordos, como por exemplo com a adega Vallformosa, com a Fundação VIMAR ou com a CETEX, Confederação de Turismo da Extremadura; ou através da assistência a feiras ou ações como a ENOMAQ em Saragoça e o encerramento da campanha El corcho preserva lo bueno, em Madrid.

Por outro lado, neste período, deu-se seguimento ao trabalho na edição e atualização de material de divulgação como o manual de criação de produtos turísticos em território corticeiro, o folheto Young Cork Design, o desdobrável Municipios Corcheros, o catálogo Más allá del tapón ou o conto El extraño caso del alcornocal misterioso; sem esquecer toda uma série de estudos e relatórios de caráter mais técnico.

2012

Durante o ano de 2012 e após as alterações devido às últimas eleições gerais, intensificou-se o trabalho na Rede para voltar a recompor as alianças políticas e para que os órgãos governativos conheçam e tenham presentes os territórios corticeiros.

Para além de encontros e reuniões com deputados e senadores a nível estatal e do contato direto com entidades do setor e relacionadas com este, convém destacar dois encontros e a repercussão que podem gerar a nível europeu: o primeiro deles teve lugar com a Sra. Joana Agudo, membro do Comité Económico e Social Europeu (CESE), a qual informou que este órgão está a avaliar a documentação sobre a decisão que o Parlamento Europeu e o Conselho devem aprovar acerca das novas utilizações da terra e das suas emissões, sendo que, por enquanto, o sobreiral não figura como ecossistema concreto, deixando assim uma linha de trabalho para a Rede. O segundo foi com o Sr. Ramon Tremosa, eurodeputado, o qual expressa a sua disponibilidade e compromisso para com o setor, mas insta os presentas na reunião a uma estreita colaboração e trabalho.

Neste período, o que houve a destacar mais no que diz respeito à relação com outras associações e/ou empresas foi o convénio de colaboração assinado entre a RETECORK, a Miquel Alimentació Grup e o ICTA. Através de uma iniciativa impulsionada pelo grupo Miquel Alimentació, foi possível lançar uma campanha a nível estatal de reciclagem de rolhas de cortiça e, para além disso, realizar cinco ações de caráter silvícola em determinados sobreirais do território espanhol.

Para além da participação da Rede em seminários, jornadas, eventos mediáticos, etc., convém destacar a segunda edição do CorkLab, workshop de formação no âmbito do Mestrado em Design e Arquitetura da ELISAVA, bem como a apresentação da publicação CorkLab 2011 na Pedreira de Barcelona.

A RETECORK seguiu o seu trabalho no que diz respeito à realização de estudos e relatórios, bem como à promoção das campanhas a favor da rolha de cortiça, sendo de destacar a sua presença no FITUR 2012 através do projeto Territórios Corticeiros e outras feiras de âmbito internacional.

Neste último ano, a RETECORK continuou a trabalhar na edição e atualização constante do material vinculado à Rede, às campanhas de promoção a favor da rolha de cortiça, à exposição itinerante e catálogo Paisagem Corticeira. Mediterrânea. Diversa, a publicação CorkLab, experiências em design e arquitetura com cortiça e a própria página web.

2011

Ao longo do ano de 2011, a RETECORK manteve o contato com representantes dos diferentes grupos políticos do Parlamento Espanhol, Parlamento Europeu, Parlamento da Catalunha e o Parlamento da Andaluzia.

Através desta atividade permanente de contato com representantes políticos, convém destacar três dos eventos mais significativos para o setor corticeiro e, particularmente, para a Rede: o encontro em Coruche, no âmbito do FICOR, com representantes da Comissão de Agricultura e Meio Ambiente do Parlamento Europeu; a entrevista entre o Sr. André Bordaneil, Presidente da Câmara de Maureillas-las-Islas e a Sra. Sanchez Schmid, Deputada do Parlamento Europeu e as propostas de resolução e emendas sobre o setor corticeiro aprovadas pela Comissão das Empresas e Emprego do Parlamento da Catalunha.

A RETECORK manteve contato e colaborou com empresas e associações de caráter muito díspar como a Rede Europeia de Cidades do Vinho – RECEVIN, a Denominação de Origem Ribera del Guadiana, a Universidade de Extremadura ou o Grupo de superfícies comerciais Miquel Alimentació. A maioria destes contatos redundou num vínculo de trabalho e no compromisso destas atividades a favor da cortiça.

Convém também salientar a organização e participação da Rede em eventos como feiras, jornadas, conferências, etc., a nível nacional e internacional, o que permitiu um bom resultado a nível de notoriedade nos meios de comunicação.

Durante 2011 continuaram a impulsionar-se as campanhas para a promoção dos vinhos com rolha de cortiça e a reciclagem das rolhas, tendo-se também desenvolvido diversos estudos e relatórios, tudo através do projeto-piloto Territórios Corticeiros, cofinanciado pelo Ministério do Meio Ambiente e Meio Rural e Marinho e pelo FEADER.

No âmbito do projeto RETECORK, Rede Europeia de Territórios Corticeiros, um instrumento para o desenvolvimento sustentável em zonas rurais, finalizado a 31 de janeiro de 2011 e que recebeu a colaboração da Fundação Biodiversidade, trabalhou-se no design e edição de novo material da RETECORK e das campanhas que se levaram a cabo.

Por outro lado, através do projeto Territórios Corticeiros. A cortiça e a paisagem corticeira base do desenvolvimento sustentável em zonas rurais, cofinanciado pelo Ministério do Meio Ambiente e Meio Rural e Marinho e pelo FEADER, também se elaborou algum material gráfico da Rede.

2010

Durante 2010, a RETECORK mantém contato com representantes dos diferentes grupos políticos em nível estadual e apresenta a Rede por meio de reuniões e apresentações o Ministério da Indústria, Turismo e Comércio, Ministério da Ciência e Inovação, Comissão de Meio Ambiente, Agricultura e Pesca do Senado, do Departamento de Meio Ambiente e Habitação da Generalitat da Catalunha, etc. Por outro lado, está a avançar na preparação do projecto-piloto Territórios Corticeiros e mantém contactos através de visitas aos municípios e entidades membros da RETECORK e possíveis novas incorporações à Rede.

É apresentado a empresas e associações como Cavas Recaredo, Cavas Vilarnau, Denominação de Origem Empordà, Associação de Comerciantes Sant Celoni, União das Associações de Sommeliers Espanhóis, Academia de Sommelier e Mestres de Sommelier da Espanha, etc. De referir que grande parte destes contactos serviram para estabelecer um vínculo estreito e o compromisso destas entidades com a cortiça. Por outro lado, a Rede tem assistido e participado em eventos como mesas redondas, conferências, apresentações nacionais e internacionais e tem estreitado a sua relação com meios especializados em turismo, ambiente e cortiça.

Sempre vinhos tapados com cortiça e RECICORK, reciclagem natural, as duas campanhas que a Rede tem vindo a promover têm sido realizadas em municípios como Pals, Eslida, San Vicente de Alcántara, Palafrugell, Los Barrios, Sant Celoni, Navahermosa e Muelas del Pan, e empresas como Vins i Licors Grau e o Hotel Novotel aderiram às campanhas.

No âmbito do projecto RETECORK, Rede Europeia de Territórios Corticeiros, instrumento de desenvolvimento sustentável em meio rural, que contou com a colaboração da Fundação Biodiversidade, foram desenvolvidos trabalhos de concepção e edição de novos materiais e das campanhas que estão sendo realizados.

2009

Ao longo de 2009, intensificou-se a interação da RETECORK com representantes dos diferentes grupos políticos ao nível do Parlamento Espanhol, Parlamento Europeu e Parlamento da Catalunha, bem como a Rede foi apresentada à Comissão da Indústria do Senado espanhol e no Congresso do os deputados. Essas apresentações também se repetem internacionalmente, como no Senado da Itália, na Comissão Permanente de Agricoltura e Produzione Agroalimantare.

A Vins i Licors Grau aposta na rolha de cortiça ao celebrar um acordo de colaboração com a RETECORK e o Instituto Catalão de Cortiça.

A Rede publica um stand corporativo à disposição dos associados e participa em eventos nacionais e internacionais como a FILDA e FICOR em Portugal, VINITALY em Itália, Al Gusto em Bilbao e através de conferências ou mesas redondas no I Congresso Ibérico de Biologia e Sociedade em Badajoz ou no I Encontro de Espaços Naturais da Cortiça em Palafrugell.

Por outro lado, recebe-se a notificação de que a Fundação para a Biodiversidade aprova o projeto RETECORK, Rede Europeia dos Territórios Corticeiros, um instrumento de desenvolvimento sustentável em meio rural.

2008

A Rede apresenta-se perante organismos e entidades através de visitas a municípios. Dá-se início aos contactos com deputados espanhóis e à participação em programas europeus. Por outro lado, desenvolve-se a imagem corporativa da RETECORK, sendo igualmente de referir a concessão de ajuda da Deputação de Girona para a realização de campanhas-piloto de promoção dos vinhos tapados com rolha de cortiça e reciclagem de rolhas.

Ao longo de 2008, RETECORK participa em VIVEXPO em França e no Seminario sul Sughero (Seminário sobre o Sobreiro), em Itália.

2007

É constituída a Rede Europeia de Territórios Corticeiros – RETECORK, composta inicialmente de 23 associados de Espanha, Portugal, Itália e França. A Rede nasce com o objectivo de constituir, a nível da administração local e visando o desenvolvimento socioeconómico das localidades, uma plataforma para o conhecimento, promoção e desenvolvimento da cultura da cortiça, com representes das comunidades tradicionalmente vinculadas à produção, transformação e comercialização da mesma.

2006

Em Outubro de 2006 celebrou-se o primeiro encontro de territórios corticeiros em Palafrugell, com a participação de 46 assistentes e 11 oradores. Foi aprovada a Carta de Palafrugell, que promove a constituição de uma Associação de Colectividades Corticeiras a nível europeu.